Le Bac à Bonnières (R096, FWN42) | Société Cezanne

“Tudo passa”,
Disse Heráclito de Éfeso
Vinte e cinco séculos antes,
Sentado à beira do mesmo rio da véspera.

“Em nenhum lugar há permanência”,
Apoiou-o o poeta Rainer Maria Rilke
Vinte e cinco séculos depois,
Sentado na ponte do castelo de Duíno.

“Não se assustem com a mudança, rapazes.
O tempo é só a imagem móvel da eternidade”,
Disse-lhes sorrindo Platão,
Muito antes e muito depois,
Abrindo uma janela para o Topos Uranos.

Publicidade