Semana após semana, a Liturgia nos veio preparando para a revelação a ser feita hoje, no último domingo do ano eclesial.

Jesus, como foi mostrado nos domingos anteriores, é verdadeiramente o Eleito, o Messias de Deus, o Rei dos Judeus. Ironicamente, no Evangelho de hoje, ouvimos esses nomes dos lábios dos que não acreditavam Nele: governantes de Israel, soldados e um criminoso que morria a Seu lado.

Estes só conseguiam enxergar o escândalo de uma figura ensanguentada, presa a uma cruz. Desprezaram-No com palavras e gestos já preditos nas Escrituras de Israel (Salmo 22, 7-9; 69, 21-22; Sabedoria 2, 18-20). “Se é verdadeiramente Rei, Deus O salvará”, escarneciam. Mas Ele não veio para salvar a Si mesmo, mas para salvar seus escarnecedores e a nós.

O bom ladrão nos indica como devemos aceitar a salvação que Ele nos oferece: confessa seus pecados, reconhecendo que merece morrer por eles. E invoca o nome de Jesus, buscando Sua misericórdia e perdão. Pela sua fé, foi salvo. Jesus “se lembrará” dele — como Deus sempre se lembrou de Seu povo, visitando-o com Suas obras redentoras, contando-o entre os Seus herdeiros escolhidos (Salmo 106,  4-5).

É pelo sangue de Sua cruz que Jesus revela o Seu reinado. Não procurou salvar a própria vida, mas a ofereceu pela nossa salvação. Com isto, o Pai nos libertou do poder das trevas e nos recebeu no reino de seu Filho amado, como nos diz a Epístola de hoje.

O Reino de Cristo é a Igreja, a nova Jerusalém e a Casa de Davi (que cantamos no Salmo de hoje).

Pela aliança com Davi, conforme a Primeira Leitura, as tribos de Israel transformaram-se nos mesmos ossos e na mesma carne do seu rei. Pela nova aliança, feita com Seu sangue, Cristo se torna uma só carne com o povo de Seu Reino: Ele é a cabeça de Seu corpo, que é a Igreja (Efésios 5, 23-32).

Celebramos e renovamos essa aliança em toda Eucaristia, dando graças pela nossa redenção, aguardando o dia em que também estaremos com Ele no Paraíso.

https://stpaulcenter.com/audio/sunday-bible-reflections/kingdom-of-the-son-scott-hahn-reflects-on-the-solemnity-of-christ-the-king/

Publicidade