Estamos no tempo entre a primeira e a última vinda de nosso Senhor. Vivemos no mundo novo iniciado por Sua vida, morte, Ressurreição e Ascensão, e pelo envio de Seu Espírito sobre a Igreja. Contudo, ainda aguardamos o dia em que Ele voltará em Sua glória.

“Eis que virá o dia…”, alerta Malaquias na Primeira Leitura de hoje. Os profetas ensinaram Israel a esperar pelo Dia do Senhor, quando Ele reuniria todas as nações para o julgamento (Sofonias 3, 8; Isaías 3, 9; 2 Pedro 3, 7).

Jesus antecipa esse dia no Evangelho de hoje. Adverte para não sermos enganados por aqueles que afirmam que “a hora já chegou”. Esse engano também é o pano de fundo da Epístola deste domingo (2 Tessalonicenses 2, 1-3).

Os sinais que Jesus promete aos apóstolos parecem já ter acontecido no Novo Testamento. Nos Atos dos Apóstolos, nas Epístolas e no Apocalipse, lemos sobre fomes e terremotos, sobre a desolação do Templo. Lemos sobre as perseguições dos fiéis, que são presos e mortos, testemunhando  a sua fé com sabedoria através do Espírito.

Esses “sinais” dão-nos o padrão de vida na Igreja, tanto no Novo Testamento quanto hoje.

Nós também vivemos em um mundo de nações e reinos em guerra. E devemos tomar os apóstolos como nossos “modelos”, como aconselha a Epístola. Como eles, devemos perseverar na fé, diante de parentes e amigos incrédulos, e diante de forças e autoridades hostis a Deus.

Assim como no Salmo de hoje, devemos cantar Seus louvores, proclamar alegremente Sua vinda como Senhor e Rei. O Dia do Senhor é, sempre, um dia que já chegou e um dia ainda por vir. É o “hoje” da nossa liturgia.

Os apóstolos rezaram marana tha: “Vinde, Senhor!” (Coríntios 16, 22; Apocalipse 22, 20). Na Eucaristia, Ele responde, retornando novamente como o Senhor dos exércitos e o Sol da Justiça, com seus raios curativos. É um sinal poderoso; e uma promessa daquele dia que virá.

https://stpaulcenter.com/audio/sunday-bible-reflections/today-is-the-day-scott-hahn-reflects-on-the-thirty-third-sunday-in-ordinary-time/

Publicidade