O desprezo do poder público pelo cristianismo, na católica Espanha, só tem aumentado sob o governo esquerdista. O vídeo sacrílego “Eso que sientes es La Rioja”, publicado pelo governo da província de La Rioja para promover o turismo na cidade, apresenta um casal de dançarinos dançando (com castanholas e trajes tradicionais…) sobre o altar de uma igreja paroquial dedicada ao apóstolo São Tiago, na cidade de Clavijo.

O vídeo procura mesclar imagens, que remetem a aspectos tradicionais da Espanha e a pontos turísticos admiráveis, com outras nada tradicionais e nada admiráveis, como um casal de lésbicas se beijando. Cena como esta última, inserida e diluída num conjunto de imagens “normais” e “tradicionais”, adquire uma espécie de status de normalidade que de outro modo não teria.

Enquanto a dança sobre o altar dessacraliza “com arte” um espaço sagrado, o beijo homossexual consagra e regulariza um ato disruptivo. É um truque muito esperto dos atuais estrategistas de esquerda: a implosão discreta e silenciosa dos fundamentos civilizatórios, no lugar da explosão revolucionária do passado.