As principais denominações protestantes que adaptaram sua teologia às ideologias LGBT (permitindo e realizando casamentos homossexuais de seus pastores e fiéis a partir dos anos 2000, fazendo a fé marchar em sintonia com a realidade social), tiveram uma acelerada perda de membros: a frequência caiu drasticamente, especialmente desde os anos 2000.

É o que relata Evangelical Focus em um artigo de 6 de setembro. Por exemplo: a Igreja Evangélica Luterana da América perdeu mais de dois milhões de membros no espaço de 30 anos, e esses fiéis, em sua maioria, procuraram outras congregações. A Igreja Anglicana do Canadá, que sempre foi considerada a mais liberal das congregações protestantes, viu mais de 280.000 fiéis partirem desde 2001.

Outras comunidades protestantes importantes foram significativamente afetadas: a United Church of Christ, uma grande congregação americana, teve que fechar cerca de 1.300 igrejas desde 1995, e 670.000 fiéis partiram para outras denominações. A Igreja da Escócia, presbiteriana, passou de 607.000 membros para 325.000 no espaço de 20 anos.

á as igrejas protestantes teologicamente mais conservadoras, em sua maioria estão crescendo nos países do hemisfério sul e nos países do Ocidente, ou pelo menos permanecem estáveis e com alto índice de comparecimento aos serviços religiosos.

https://www.evangeliques.info/2021/09/08/monde-les-eglises-protestantes-inclusives-se-vident/?fbclid=IwAR0hjRMlOIZTug-shnISphKu-jIKJXLijGfa3ygXjiY_DlsvAcGd6p7YrBo