Apenas São Marcos relata o episódio de que o Evangelho nos fala neste domingo. Nas palavras das pessoas está a chave principal: “Ele tem feito bem todas as coisas”. O texto grego, usado pelo evangelista, ecoa a história da criação, que diz: (v. Gn 1, 31) “Deus viu que tudo o que tinha feito era muito bom”.

Deliberadamente, São Marcos evoca a promessa do profeta Isaías que ouvimos na primeira leitura de hoje: que Deus fará os surdos ouvirem e falarem os mudos. Descreve, inclusive, a pessoa que é curada por Cristo, usando uma palavra grega (mogigalion, “impedimento da fala”), que só é encontrada em outro lugar da Bíblia: na tradução grega da passagem de Isaías que lemos neste domingo, onde o profeta afirma que “a língua dos mudos gritará de alegria”.

A multidão percebe que Jesus está fazendo o que o profeta previu. Mas São Marcos nos convida a ver algo muito maior, que poderia ser expresso com as palavras da primeira leitura: “É vosso Deus que vem”.

É notório quão pessoal e descritivo é o drama deste Evangelho. Ele nos pede para fixar nossa atenção em certa mão, alguns dedos, uma língua, a saliva. São Marcos nos ensina que, em Jesus, Deus realmente se tornou carne.

Ele fez novas todas as coisas; fez uma nova criação (v. Ap 21, 1-5). Como Isaías prometeu, Ele fez as águas vivas do batismo correrem pelo deserto do mundo. Ele libertou os cativos dos próprios pecados, como cantamos no salmo de hoje. Veio para que os ricos e os pobres possam sentar-se juntos no banquete eucarístico, conforme o que Sao Tiago nos conta em sua epístola.

Ele fez por cada um de nós o que tinha feito pelo surdo-mudo: abriu nossos ouvidos à Palavra de Deus e soltou nossas línguas para que possamos cantar seus louvores.

Portanto, novamente na Eucaristia, vamos dar graças ao nosso glorioso Senhor Jesus Cristo. Digamos com Isaías que aqui está o nosso Deus, que vem para nos salvar. Que sejamos ricos em fé, para que herdemos o reino prometido aos que O amam.

https://stpaulcenter.com/all-things-well-scott-hahn-reflects-on-the-twenty-third-sunday-in-ordinary-time/