Acreditava-se que o melancólico
Concerto para violoncelo e orquestra, de Elgar,
Sir Edward Elgar, católico em terra anglicana,
Fosse um longo pranto em três movimentos
Pelas criaturas humanas que foram dizimadas
Na mais cruel de todas as guerras entre homens.
Contudo, o Concerto para violoncelo e orquestra de Elgar
Foi só uma pungente elegia eqüina,
Escrita para os cavalos ingleses que tombaram sem vida
Na mais cruel de todas as guerras humanas.
Os homens não mereceram as lágrimas do violoncelo de Elgar.