Primeiro, reconhecer-se desprezível.
Segundo, sofrer com o fato.
Terceiro, confessá-lo abertamente.
Quarto, desejar que o próximo acredite nisto.
Quinto, suportar pacientemente que os outros o digam.
Sexto, suportar ser tratado como digno de desprezo.
Sétimo, alegrar-se em ser tratado assim.

(In Santo Tomás de Aquino, Suma teológica, IIa IIae, q. 161, a. 6)