Jean-Pierre Maugendre, presidente do movimento francês Renascença católica, empenhado na restauração da autêntica fé cristã e da cultura clássica em seu país, não compreende como é possível afirmar (como fez Papa Francisco em seu recente documento Traditionis custodes) que a celebração da Missa antiga possa colocar em risco a unidade eclesial.

E enumera alguns fatos que, na Igreja, verdadeiramente revelam a mais escandalosa ausência de unidade:

— Há padres que celebram suas Missas respeitando as indicações contidas no Missal. E há padres que celebram suas Missas da forma que melhor lhes apetece.

— Há dioceses em que os divorciados e recasados ​​são admitidos à Sagrada Comunhão; há dioceses em que os divorciados e recasados não ​​são admitidos à Sagrada Comunhão.

— 31% dos católicos americanos dizem crer na presença substancial de Cristo sob as aparências do pão e do vinho após a consagração; 69% dos católicos americanos dizem que não acreditam na presença substancial de Cristo sob as aparências do pão e do vinho após a consagração (pesquisa do Pew Research Center – agosto de 2019).

— Há padres que não abençoam uniões entre pessoas do mesmo sexo em suas paróquias. E há padres que abençoam impunemente, ainda por cima vestidos com as cores do arco-íris, uniões entre pessoas do mesmo sexo em suas paróquias.

É possível continuar enumerando acontecimentos desse gênero, num quase sem-fim de oposições. No entanto, nos pares de enunciados contraditórios acima, um deles é Igreja e o outro não. Ou seja:

— Padres que celebram suas Missas respeitando as indicações contidas no Missal são Igreja. Não são Igreja os padres que celebram suas Missas da forma que melhor lhes apetece.

— Dioceses em que os divorciados e recasados ​​são admitidos à Sagrada Comunhão não são Igreja. São Igreja as dioceses em que os divorciados e recasados não ​​são admitidos à Sagrada Comunhão.

— Os 31% dos católicos americanos que dizem crer na presença substancial de Cristo sob as aparências do pão e do vinho após a consagração são Igreja. Não são Igreja os 69% dos católicos americanos que dizem não acreditar na presença substancial de Cristo sob as aparências do pão e do vinho após a consagração.

— Padres que não abençoam uniões entre pessoas do mesmo sexo em suas paróquias são Igreja. Não são Igreja os padres que abençoam impunemente, e ainda por cima vestidos com as cores do arco-íris, uniões entre pessoas do mesmo sexo em suas paróquias.

São essas coisas que colocam em risco a unidade eclesial.

“Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir”, disse certa vez, há mais de dois mil anos, o Fundador da própria Igreja (Mateus 12, 25). Em Lucas (18, 8) fez a terrível pergunta: “Quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?”

Por outro lado, em Mateus (16, 18), Jesus garantiu que as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja, que afinal é mais Sua do que nossa.